Porta-voz desmente jornalista: Príncipe Charles não fez comentário racista

O jornalista americano Christopher Andersen vai lançar um livro dizendo que o Príncipe Charles fez comentários racistas sobre a pele do filho de Harry e Meghan Markle.

No livro, que será lançado nesta terça-feira (30), Charles teria comentado com sua esposa, Camila Parker Bowles, sua preocupação com a cor do seu neto.

A conversa supostamente aconteceu no dia 27 de novembro de 2017, quando Harry e Meghan anunciaram a gravidez.

“Me pergunto como serão seus filhos”, questionou Charles, segundo o autor, antes que Camila respondesse: “absolutamente maravilhosos, tenho certeza”.

“Eu quis dizer, que tom de pele você acha que terão seus filhos?”, acrescentou o príncipe de Gales, de acordo com o livro, citando uma “fonte bem informada”.

A conversa está de acordo com o que Meghan falou durante entrevista com a Oprah, onde revelou racismo dentro da família real. Na TV, a ex-atriz comentou que houve “preocupações e conversas… sobre o quão escura seria sua pele”.

Porta-voz nega fala racista

Ao saber sobre a história exposta no livro “Brothers And Wives: Inside The Private Lives of William, Kate, Harry and Meghan” (“Irmãos e esposas: as vidas privadas de William, Kate, Harry e Meghan”, em tradução livre do inglês), o porta-voz do Príncipe Charles tratou de esclarecer a questão.

“Trata-se de uma ficção e não merece mais comentários”, afirmou um porta-voz de Clarence House, o escritório do príncipe de Gales.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.